Os Livros Ardem Mal

Foi Você Que Pediu Uma História da Publicidade?

Posted in Livros, Recensões by Catarina Maia on Sábado, 31-01-2009

foi-voce-que-pediu-uma-historia-da-publicidade1

Foi Você Que Pediu Uma História da Publicidade?, das edições Tinta da China, é um trabalho de grande qualidade e profissionalismo. Como diz na apresentação do livro o seu autor, Luís Trindade, é impossível ter uma ideia de quantos anúncios foram feitos na história da publicidade. Neste livro restringe-se o campo de observação a um espaço, Portugal, a um tempo, o século XX, e a um suporte, as publicações periódicas. Ainda assim o material permanece imenso. Os anúncios estão de tal modo presentes, para não dizer omnipresentes, na nossa vida, na nossa sociedade, que se torna impossível escapar à sua influência. E, ao mesmo tempo, a sua natureza é intrinsecamente volátil, passageira. As escolhas que compõem o livro são por isso muito importantes e muito difíceis.

Luís Trindade, professor de Estudos Portugueses na Universidade de Londres e investigador do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa, conhece muito bem o campo das publicações periódicas em Portugal. Tem vários títulos publicados nesta área, entre os quais destaco o recente Primeiras Páginas. O Século XX nos Jornais Portugueses (2006, Edições Tinta da China). Ao contrário deste último, em Foi Você Que Pediu Uma História da Publicidade? Luís Trindade opta  por seguir uma organização não cronológica, juntando anúncios de 1905 ao lado de anúncios dos anos 80 ou 90. A mulher e a máquina são os temas mais representados nos anúncios e servem de leitmotiv nesta narrativa que o autor tenta construir sobre a história da publicidade em Portugal, que é também uma história de Portugal.


Não resisto, dada a sua subtileza, a partilhar um excerto de um anúncio que aparece no Diário de Notícias no ano de 1907 à Grande Casa dos Lanifícios, e que agora todos podem encontrar na página 37 deste Foi Você Que Pediu Uma História da Publicidade?. Aqui fica:

 TERRA, PÓ E NADA!

A dissolução das côrtes.
                                         Os actos dictatoriaes do Governo.
A carta dos conselheiros de estado ao Rei.
                     A questão Academica.
O protesto dos Deputados da Nação.
                                     O protesto dos Pares do Reino.
A derrocada dos velhos partidos.
                                         O protesto da Camara dos Pares.
A dissolução da Camara Municipal de Lisboa.
                                      Os effeitos da Lei de Imprensa.
O nascimento do príncipe herdeiro de Hespanha.
                                                       A crise vinícola no Meio Dia da França.
A expulsão do príncipe Luiz de Orleans do Brazil.
                                            A revolução dos boxers na China.
A grève maritima em Bordéus.
                                                  As bombas que expludem na Russia.
Os preparativos da eleição presidencial nos estados-Unidos.
                                                     Os tumultos no parlamento austriaco.
A visita a Paris, dos reis da Noruega.
                                       A grande erupção do Stamboli.
O Rei de Inglaterra por mar e o de Hespanha por terra…
                                                a metterem-se na nossa vida intima

    Tudo, enfim, que nos ultimos tempos tem agitado o novo e o velho mundo
SÃO TERRA, PÓ E NADA
Comparado com a excellencia, o bom gosto, o requintado chic, o primoroso tecido e a espantosa barateza dos
LANIFICIOS
GRANDE CASA DOS LANIFICIOS

 Que é a unica casa da rua augusta que tem alpendre de vidro.

 

Luís Trindade (2008), Foi Você Que Pediu Uma História da Publicidade?. Lisboa: Tinta da China. 245 pp. [ISBN: 978-972-8955-77-9]

Comentários Desativados em Foi Você Que Pediu Uma História da Publicidade?

%d bloggers like this: