Os Livros Ardem Mal

Paulo Henriques Britto (I)

Posted in Autores, Notas by Osvaldo Manuel Silvestre on Terça-feira, 16-09-2008

Paulo Henriques Britto nasceu no Rio de Janeiro em 1951. É um dos mais conceituados poetas contemporâneos do Brasil (e um dos mais pessoanos), tendo conquistado com o seu livro de 2003, Macau, o prémio Portugal Telecom de Literatura Brasileira. É ainda um renomado tradutor de literatura anglo-americana, tendo traduzido já E. L. Doctorow, Henry James, V. S. Naipaul, Thomas Pynchon, Wallace Stevens, Elizabeth Bishop, Don DeLillo, Nadine Gordimer, John Updike, William Faulkner, Ted Hughes ou Philip Roth. É professor na PUC Rio. Os poemas que, com a devida vénia, passo a transcrever integram a sua última colectânea, Tarde (2007, Companhia das Letras).

 

O METAFÍSICO CONSTIPADO

Não há epifanias nesta noite,
nem escatologias sob a mesa.
O caco de lua que a janela emoldura
dispensa pretensões a inteireza.

Mas diante de tal ânsia de infinito
como pode tão pouco ser bastante?
aos céus ele pergunta, e na terra procura
um bom compêndio e o frasco de purgante.

 

Osvaldo Manuel Silvestre

Advertisements

Comentários Desativados em Paulo Henriques Britto (I)

%d bloggers like this: