Os Livros Ardem Mal

Os autores

Ana Bela Almeida
Ana Bela Almeida é licenciada em Estudos Portugueses pela Universidade Nova de Lisboa. Foi leitora de Português nas Universidades de Vigo e da Corunha, na Galiza, e em Santa Barbara, nos Estados Unidos. Colaborou na reestruturação da editora Angelus Novus, para a qual já traduziu várias obras. Vive agora na Galiza e prepara tese de doutoramento em Filologia Galega e Portuguesa na Universidade de Vigo.
e-mail: anasial@gmail.com

Antonio Apolinario Lourenco
António Apolinário Lourenço é professor de Literatura Espanhola na Universidade de Coimbra e director do Instituto de Estudos Espanhóis da mesma Universidade. Em tempos exerceu com assiduidade a crítica literária, sucessivamente no Diário de Lisboa, no Jornal de Letras e no Público. Dos livros que publicou, destaca Identidade e alteridade em Fernando Pessoa e Antonio Machado (1995, traduzido para espanhol em 1997), Eça de Queirós e o Naturalismo na Península Ibérica (2005) e a edição anotada e comentada da Mensagem, de Fernando Pessoa, realizada em 1994 e este ano reeditada. É membro do Centro de Literatura Portuguesa.
e-mail: ant.apolinario@clix.pt

Catarina Maia
Catarina Maia frequenta o Curso de Mestrado em Estudos Artísticos (especialização em Estudos Cinematográficos) da Universidade de Coimbra e é investigadora do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20). Encontra-se a desenvolver a sua investigação com vista à elaboração da tese de mestrado com o tema «A moral no cinema de João César Monteiro». É directora da Penetrarte, Revista de estudos artísticos e colabora regularmente com as revistas Sinais de Cena e MACA – Magazine de Artes de Coimbra e Afins.
e-mail: maia.catarina@gmail.com

Luis Quintais
Luís Quintais nasceu em 1968 em Angola. Antropólogo, ensaísta e poeta. Como antropólogo tem vindo a trabalhar sobre as relações entre cognição, biotecnologias e bioarte. Tem ensaios publicados em diversas publicações, destacando-se ainda o ensaio sobre a psiquiatria forense em Portugal na primeira metade do século XX, Franz Piechowski ou a Analítica do Arquivo (2005, Lisboa, Livros Cotovia). Publicou os seguintes livros de poemas: A Imprecisa Melancolia (1995, Lumen), Lamento (1999, Cotovia), Umbria (1999, Pedra Formosa), Verso Antigo (2001, Cotovia), Angst (2002, Cotovia), Duelo (2004, Cotovia), Canto Onde (2006, Cotovia). Ver também http://web.mac.com/luisquintais
e-mail: luisquintais@gmail.com

Manuel Portela
Manuel Portela é professor do Grupo de Estudos Anglo-Americanos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Traduziu obras de Laurence Sterne – entre as quais, A Vida e Opiniões de Tristram Shandy (1997-98) e Uma Viagem Sentimental por França e Itália (1999) – e de William Blake – entre as quais, Sete Livros Iluminados (2005), Quatro Visões Memoráveis (2006) e Cantigas da Inocência e Experiência (2007). Como investigador, tem trabalhado sobre a história social da produção literária e, mais recentemente, sobre a cultura digital. É autor de O Comércio da Literatura: Mercado e Representação (2003) e do sítio web DigLitWeb: Literatura Digital (2005-) , dedicado a arquivos, edições e obras electrónicas. Exerceu também as funções de Director do Teatro Académico de Gil Vicente. É membro do Centro de Literatura Portuguesa
e-mail: mportela@fl.uc.pt


Miguel Cardina
Miguel Cardina nasceu em 1978 na Nazaré. Licenciado em Filosofia e mestre em História Contemporânea. Desenvolve neste momento um doutoramento sobre a construção da esquerda radical no Estado Novo. Acaba de publicar A Tradição da Contestação. Resistência Estudantil no Marcelismo (2008). Toca bateria e percussão nos dias inúteis.
e-mail: miguelcardina@gmail.com

Osvaldo Manuel Silvestre
Osvaldo Manuel Silvestre ensina teoria da literatura, arte e cultura de massas e novos média na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Publicou ensaios e livros sobre literatura portuguesa, brasileira e africana no período moderno e contemporâneo, e ainda sobre questões de teoria, comparatismo e estética. Com Pedro Serra, co-organizou o volume Século de Ouro. Antologia Crítica da Poesia Portuguesa do Século XX (2003). Foi um dos directores da revista de poesia Inimigo Rumor, no período em que foi editada em simultâneo em Portugal e Brasil, e co-dirigiu Zentralpark. Revista de Teoria & Crítica. Foi um dos membros do blogue Casmurro. É membro do Centro de Literatura Portuguesa
e-mail: oms.fluc@gmail.com

Pamplinas
Pamplinas (s/d) é escrevedor, pensador e passeante. A sua biografia é curta: não tem filhos nem obras nem projectos, de obra ou do resto. O resto, aliás, é a sua principal ocupação e perdição. Dedica-se-lhe com a tenacidade que coloca em não distinguir irrelevâncias de platitudes, dada a sua fidelidade a ambas. Sonha com o Trans-Siberiano e com os Andes, mas entretanto vai dar uma volta ao Jardim Botânico. Um centro comercial também serve. A bem dizer, quase tudo lhe serve.
e-mail: ppamplinas@gmail.com

Pedro Serra
Pedro Serra (1969) é professor de literatura portuguesa na Faculdade de Filologia da Universidade de Salamanca. Publicou vários ensaios – Conversas Civis. Estudos Sobre D. Francisco Manuel de Melo (2003), Síntomas de la modernidad en Eça de Queirós (2003), Nota Final. Carlos de Oliveira e o Fim na Filologia (2004), Um Nome Para Isto. Leituras da Poesia de Ruy Belo (2004) -, co-organizou com Osvaldo M. Silvestre o volume Século de Ouro. Antologia Crítica da Poesia Portuguesa do Século XX (2002) e traduziu Orientalismo (2004) de Edward Said. Recentemente, publicou a edição crítica d’ O Hissope. Poema Herói-Cómico (2006), em colaboração com Ana María García Martín. É um dos editores de Estudios Portugueses. Revista de Filología Portuguesa. É membro do Centro de Literatura Portuguesa
e-mail: pedroserra@telefonica.net

Rui Bebiano
Rui Bebiano é historiador, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e investigador do Centro de Estudos Sociais. Participou, nas décadas de 1980-1990, na renovação dos estudos barrocos e da história militar portuguesa. Trabalha sobre temas relacionados com a resistência ao Estado Novo e as conexões entre história, memória e contemporaneidade. Livros recentes: A Pena de Marte (2000), Folhas Voláteis (2001), O Poder da Imaginação. Juventude, Rebeldia e Resistência nos Anos 60 (2003), Anos Inquietos (2006) e Do Activismo à Indiferença (2007), os dois últimos em co-autoria. Tem publicado, desde 1971, artigos, crónicas, recensões críticas e comentários distribuídos por jornais, revistas, dicionários, sites e outras publicações. Entre 1996 e 2002 dirigiu Non!, um dos primeiros magazines electrónicos da lusofonia. Mantém o blogue A Terceira Noite.
e-mail: ruibebiano@mail.telepac.pt

Salomé Coelho
Salomé Coelho é doutoranda em Estudos Feministas, pela Universidade de Coimbra, desenvolve investigação na área das políticas identitárias e feminismo Queer. Membro da coordenação e do secretariado da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, núcleo do Porto, e do Observatório de Mulheres Assassinadas, integrado naquela associação. Licenciada em Psicologia, ramo Trabalho e Organizações, trabalha na formação de adultos e como consultora de recursos humanos.
e-mail: salome.coelho@gmail.com

Sandra Guerreiro Dias
Sandra Guerreiro Dias (1981) é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas (Estudos Portugueses) pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Conclui um mestrado em História das Ideologias e Utopias Contemporâneas. Trabalha sobre imaginação e mudança social na ficção portuguesa dos anos 80. Colaborou/a com publicações como a revista RELER, 365, Storm, Os Bárbaros, Diário do Alentejo, DNJovem, Minguante e Revista Big Ode. Também no blogue evidence and chlorine.

e-mail: sandra.cgd@gmail.com

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: