Os Livros Ardem Mal

Barba Azul, Papão e Companhia

Posted in Livros, Recensões by Catarina Maia on Quarta-feira, 11-03-2009

barba-azul-papao-e-companhia

Barba Azul, Papão e Companhia, apesar de ser uma obra de meados dos anos 80, foi agora editado pela primeira vez em Dezembro de 2008 pela Cavalo de Ferro, numa tradução de Ana Paiva Morais. É um livro de contos, dezassete breves histórias de Eric Jourdan acompanhadas por dezassete ilustrações inéditas de Paula Rego. Este livro resulta de uma colaboração entre a pintora e o escritor que resolvem remexer o mundo da literatura infantil. Quem tem crianças em casa, ou simplesmente se interessa por literatura infantil de certeza que já se deparou com o problema de encontrar histórias que sejam minimamente interessantes. Apesar de não ser nada uma especialista no campo, acontece-me sempre comprar livros que contam histórias melosas e aborrecidas da “avó Bita” que faz bolinhos quentinhos e do “Joãozinho” que não gostava de sopa e depois já gosta… Em suma… uma chatice.

Este livro, até pelo belíssimo prefácio de Julien Green, promete uma abordagem mais ousada. Mas a verdade é que tanto os contos como algumas das ilustrações de Paula Rego me parecem excessivas na sua violência e deformidade. Se de um lado temos “a avó Bita” e os bolinhos, aqui temos avós chicoteadas e ladrões enforcados que são deixados pendurados, a balançar. Falta-lhe, na minha opinião, uma maior subtileza. Falta-lhe poesia. Por exemplo, na história do Capuchinho Vermelho abre-se a barriga ao lobo e enche-se de pedras. Isto é terrível, claro. Mas a avó sai viva de dentro da barriga do lobo, e o lobo não fica a esvair-se em sangue com as costuras a descoserem-se devido ao peso das pedras, etc. Há uma violência latente, mas encenada. Fantástica. Mas Eric Jourdan, de quem, de resto, se acaba de publicar pela Bico de Pena um outro livro, o seu primeiro livro, escrito aos 16 anos, Os Anjos Maus, que foi proibido nos anos 50 pela extrema violência do seu conteúdo, cultiva um gosto duvidoso pelo sórdido. Conhecemos também a perversidade da pintura de Paula Rego. Barba Azul, Papão e Companhia é por isso um livro que desperta a curiosidade mas, ao mesmo tempo, deixa bastantes reservas quanto à qualidade de entretenimento que pode oferecer a uma criança.

 

Eric Jourdan, Barba Azul, Papão e C.ia, Lisboa, Cavalo de Ferro, 2008. [ISBN 978-989-623-095-1]

About these ads

Comentários desligados

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 25 outros seguidores

%d bloggers like this: